Localizada nos contrafortes da Serra Geral, em altitudes que variam de 200 a 1470 metros, esta Reserva Biológica (Rebio) abrange os municípios de Morro Grande, Nova Veneza, Siderópolis e Treviso. Criada em 1º de julho de 1983, por meio do Decreto nº 19.635, protege uma área de 7.672 hectares.

A Reserva está inserida no Bioma Mata Atlântica, um dos mais ameaçados em todo o mundo, com apenas 8% da sua área original em bom estado de conservação no território latino americano .

A criação da Reserva Biológica do Aguaí justificou-se pelo seu relevo acidentado, a presença de diversos canyons, pela riqueza de ecossistemas e pela grande variedade de espécies de plantas e animais, que fazem da região um cenário valioso para a conservação da biodiversidade.

No lado, onde há vales e escarpas, a Serra Geral é coberta pela Mata Atlântica. Nos locais de grande altitude e nebulosidade, os campos são delimitados por manchas da Floresta Nebular. Nas margens dos rios observam-se as matas ciliares. O entorno desta unidade de conservação é também de relevante riqueza ambiental, pois encontramos as chapadas que são formadas a partir da ruptura do terreno. Nas áreas mais altas, ocorrem os campos naturais.

Nas depressões do terreno, locais de antigos lagos, surgem as turfeiras que formam habitat particular de diversas espécies. Já nos vales mais protegidos dos ventos e do frio, a vegetação florestal se desenvolve melhor, formando a típica Floresta de Araucária.

Na Reserva Biológica Estadual do Aguaí existem inúmeras nascentes, contribuindo para a formação da bacia carbonífera. No alto da Serra Geral as nascentes são protegidas por uma densa formação vegetal da Floresta Atlântica e Floresta Nebular. Por ser uma Reserva Biológica não é permitida a entrada do público, somente de pesquisadores. A Rebio do Aguaí é extremamente importante para a manutenção dos recursos hídricos da região sul do Estado de Santa Catarina, principalmente para as cidades abrangidas pela Bacia Carbonífera, uma vez que dois terços dos cursos d’agua desta região estão seriamente comprometidos devido à poluição da exploração do carvão mineral. Alguns rios que nascem na ReBio do Aguaí são ainda formadores da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá, na qual está localizada a barragem do Rio São Bento.

As majestosas esculturas geológicas, a imponência das montanhas, escarpas e chapadas, assim como os magníficos canyons e as belas cachoeiras, são também um importante testemunho da história geológica do Brasil, podendo gerar oportunidades para alavancar a economia de toda a região por meio da ampliação e desenvolvimento do ecoturismo no entorno da Rebio.
Na formação geológica da região, onde se destaca o afloramento do Arenito Botucatu, confere à Reserva Biológica Estadual do Aguaí um papel fundamental na recarga do Aquífero Guarani, um dos maiores reservatórios subterrâneos de água do mundo.

Os ricos ecossistemas resguardados em toda esta região continuam pressionados por desmatamentos ilegais, queimadas de campos e a caça. Nos últimos anos tem surgido uma nova e devastadora ameaça aos campos da região, o plantio de espécies exóticas, principalmente, o Pinus. Esta é uma espécie invasora, suas sementes espalham-se pelas àreas naturais vizinhas. 

Assim como ocorre em todo o mundo, a criação de uma unidade de conservação é a melhor estratégia para proteger áreas naturais, garantindo a preservação da biodiversidade, dos recursos hídricos e de todos os atributos ambientais.

A preservação da Reserva Biológica Estadual do Aguaí representa mais um passo importante na longa caminhada para a proteção da Mata Atlântica e de seus ecossistemas associados.

Sede Administrativa

Inaugurada em 21 de março de 2019, a sede da Reserva fica localizada dentro das instalações da Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis, após doação do terreno por parte da Casan. A obra que iniciou em março de 2017 teve um custo total de R$ 246.175,86. Com salas para setor administrativo, alojamentos, cozinha e banheiro, o local vai receber pesquisadores e ambientalistas para atuar na Unidade de Conservação.

Por se tratar de Reserva Biológica, caracterizada pela proteção integral da área, não é permitido acesso público. A visitação é autorizada a pesquisas científicas e projetos de educação ambiental.

pdf Decreto 19635 - Criação da Reserva Biológica Estadual do Aguaí (38 KB)

Plano de Manejo:

archive Volume 1 - Diagnóstico e planejamento. (38.98 MB)

archive Volume 2 - Resumo executivo. (22.01 MB)

archive Volume 3 - Relatórios temáticos dos meios físico e socioeconômico. (25.60 MB)

archive Volume 4 - Relatórios temáticos do meio biótico. (64.81 MB)

archive Volume 5 - Relatórios temáticos de ecoturismo, uso público e eventos participativos. (76.15 MB)