Padre, historiador, biólogo e um dos responsáveis pela criação da maior Unidade de Conservação de Santa Catarina de proteção integral. Esté é Raulino Reitz que nesta quinta-feira, 19 de setembro, completaria cem anos de vida. Apesar de sua partida em 19 de novembro de 1990, o catarinense permanece vivo pelo legado singular que construiu e deixou ao longo de seus 71 anos de existência.

O padre dedicou grande parte de sua vida ao levantamento da flora catarinense. Descobriu para a ciência universal cinco gêneros e 327 espécies novas. Coletou 30.073 plantas e emprestou seu nome a três gêneros novos e 59 espécies de plantas.

Em 22 de junho de 1942 fundou o Herbário "Barbosa Rodrigues" que hoje conta com uma coleção de aproximadamente 70.000 exsicatas.

Seus trabalhos de pesquisa atingiram as √°reas de Bot√Ęnica, Zoologia, Genealogia e Hist√≥ria. Sobre estes assuntos publicou 45 livros e 114 artigos cient√≠ficos. Foi editor da Revista Sellowia, iniciada em 1949, peri√≥dico de bot√Ęnica sul-brasileiro. Idealizou e editorou a Flora Ilustrada Catarinense com 150 fam√≠lias impressas em 172 fasc√≠culos num total 12.500 p√°ginas.

Idealizou, sugeriu e promoveu a regulamentação para que a orquídea (Laelia purpurata) e a imbuia (Ocotea Porosa) fossem, respectivamente, a flor e a árvore símbolos do Estado de Santa Catarina.

Criou e implantou, no dia 08 de abril de 1961, o Parque Bot√Ęnico do Morro Ba√ļ, em Ilhota/SC, com 750 hectares. Neste mesmo sentido, por meio de exposi√ß√£o e anteprojetos, participou diretamente da cria√ß√£o das unidades de conserva√ß√£o catarinenses: Parque Estadual da Serra do Tabuleiro (1975); Parque Estadual da Serra Furada (1980); das Reservas Biol√≥gicas do Sassafr√°s (1977); do Agua√≠ e da Canela Preta (1980); das Esta√ß√Ķes Ecol√≥gicas dos Carij√≥s, na Ilha de Santa Catarina; dos Timb√©s, nos munic√≠pios de Timb√© do Sul e Meleiro; da Babitonga, nos munic√≠pios de Garuva, Joinville, Araquari e S√£o Francisco do Sul.

Desempenhou os cargos de diretor do Jardim Bot√Ęnico do Rio de Janeiro (1971-1975), e diretor da Funda√ß√£o do Meio Ambiente ‚Äď FATMA, de 1976 a 1983.

Entre v√°rios pr√™mios recebidos pelos relevantes trabalhos realizados em favor do meio ambiente foi tamb√©m agraciado com o Pr√™mio Global 500, concedido pelo PNUMA (Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Meio Ambiente), na Cidade do M√©xico, em 05 de junho de 1990, dia Mundial do Meio Ambiente.

Pela sua passagem pela antiga Fatma e pela sua fundamental atua√ß√£o como bot√Ęnico, o IMA entrega todos os anos o Pr√™mio Raulino Reitz que reconhece personalidades que, assim como o padre e bot√Ęnico, tamb√©m s√£o importantes para a evolu√ß√£o da preserva√ß√£o do meio ambiente em Santa Catarina.

Foto do site: https://pebesen.wordpress.com/padres-da-igreja-catolica-em-santa-catarina/padre-raulino-reitz/