O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) volta a alertar a população catarinense e turistas sobre o vandalismo nas placas de balneabilidade instaladas no litoral catarinense. Nesta semana, o IMA registrou novas ocorrências como a retirada ou adulteração da sinalização que indica se o ponto está próprio ou impróprio para banho.

O IMA solicita atenção redobrada nos seguintes locais onde os atos são mais frequentes:

  • ¬∑ Ponto 02, em Barra Velha (em frente √† Rua Humberto Pimentel) ‚Äď placa colocada em 27 de janeiro e no dia seguinte n√£o se encontrava mais no local.
  • ¬∑ Ponto 04, em Bombinhas (Rua Tiriba) ‚Äď placa instalada no final de dezembro de 2019, mas foi retirada do local.
  • ¬∑ Ponto 70, na Praia de Ponta das Canas, em Florian√≥polis (em frente √† rua Alcina Jannis) ‚Äď adulteram ou retiram o selo de IMPR√ďPRIO.
  • ¬∑ Ponto 83, na Praia de Ponta das Canas, em Florian√≥polis (em frente √† rua Alcina Jannis no Canal) ‚Äď a placa foi retirada do local.
  • ¬∑ Ponto 57, na Praia dos Ingleses, em Florian√≥polis (em frente √† rua do Siri) ‚Äď adulteram ou retiram o selo de IMPR√ďPRIO.
  • ¬∑ Ponto 56, na Cachoeira do Bom Jesus, em Florian√≥polis (em frente ao trevo dos Ingleses) ‚Äď alteram o selo cortando a parte do ‚ÄúIM‚ÄĚ.
  • ¬∑ Ponto 80, na Cachoeira do Bom Jesus, em Florian√≥polis (em Frente √† Rua Dep. Otacilio Costa) ‚Äď alteram o selo cortando a parte do ‚ÄúIM‚ÄĚ.

O IMA chama a atenção dos usuários para as cores, pois a impropriedade é sinalizada não apenas pela palavra, mas também pela cor vermelha. Por isso, mesmo que alterada, a cor permanece indicando que o local não está adequado para mergulho. Assim que toma conhecimento do vandalismo, o IMA imediatamente vai ao ponto consertar a indicação. As placas que foram retiradas serão reinstaladas.

Devido ao fato de as placas serem danificadas, vandalizadas, queimadas e até excluídas do local onde foram implantadas para informar a condição do ponto amostrado, o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA), responsável há mais de 40 anos pelo monitoramento da qualidade da água do mar para banho humano, reforça a solicitação aos banhistas para que acessem o site balneabilidade.ima.sc.gov.br ou o aplicativo Praia Segura para buscar a situação atualizada de cada um dos 231 pontos analisados no litoral catarinense.

O IMA destaca ainda que al√©m de ser crime ambiental de acordo com a Lei n¬ļ 9.605/98, o vandalismo √†s placas de balneabilidade compromete a sa√ļde p√ļblica e pode gerar consequ√™ncias n√£o apenas para os banhistas, mas tamb√©m para todo o com√©rcio e turismo da regi√£o.